O que a criança ganha com o aprendizado de línguas? 1


ensino-de-linguas-1

O que a criança ganha com o aprendizado de línguas? 

Atualmente, sabe-se que aprender inglês ou outro idioma é um diferencial e uma exigência de muitas empresas na hora de escolher um novo funcionário. De fato, saber falar um outro idioma abre muitas portas no mercado de trabalho. Falar um segundo idioma é uma ferramenta a mais na busca das realizações de nossos sonhos, assim como também nos ajuda a alargar nossa visão de mundo.

Muitas pessoas também já sabem que a melhor fase para se aprender inglês é na infância, pois é exatamente nessa fase que melhor assimilamos um segundo idioma. O que nem todo mundo sabe é que aprender um outro idioma na infância é muito benéfico, pois acelera o desenvolvimento mental e aumenta a autoestima, entre outras vantagens que o aprendizado de outro idioma traz para a vida das crianças.


Quer ter aulas particulares de matemática (online)? A Preply é uma plataforma mundial que chegou no Brasil há pouco menos de um ano e já conseguiu conquistar uma legião de professores e alunos. Você pode estudar idiomas e matérias escolares diversas através de aulas presenciais ou à distância.


O melhor momento é a infância

Aprender uma segunda língua é muito mais fácil durante a fase da infância. Qualquer criança possui total capacidade para aprender qualquer idioma e se esse aprendizado for feito em paralelo com o desenvolvimento de sua língua materna é ainda melhor.

É possível estimular a atividade cerebral de uma criança por meio do aprendizado de idiomas, criando também novas conexões que auxiliam, inclusive, no processo de memorização, além de aumentar a capacidade da criança de reproduzir mais rápido as coisas que aprendem em seu cotidiano.

É importante, porém, ressaltar que o nosso cérebro começa a reduzir sua capacidade em criar novas conexões quando completamos sete anos e, por consequência disso, o trabalho que o cérebro passa a fazer se torna mais intenso e exaustivo. Esse aumento de trabalho e desgaste tendem a aumentar gradativamente com o passar dos anos.

Infância bilíngue

Algumas pessoas podem pensar que a dedicação da criança em aprender um novo idioma pode ser muito estressante e que, por consequência disso, acabe prejudicando o aperfeiçoamento em outras áreas da vida dos pequenos.

Entretanto, o que acontece é o oposto. É normal que a criança troque palavras entre os dois idiomas que está aprendendo, mas isso é muito comum e deve ser encarado com naturalidade, uma vez que faz parte do aprendizado.

Uma mente que sabe falar em dois idiomas aperfeiçoa suas funções básicas, como, por exemplo, a criatividade, concentração e memorização.

Muitos outros benefícios estão relacionados à capacidade comunicativa de se falar mais de uma língua. Basta pensarmos em todas as oportunidades que se abrirão automaticamente na vida de qualquer profissional que saiba, por exemplo, falar inglês, espanhol ou francês.

Estudos científicos apontam que aprender um novo idioma na fase da infância pode causar um efeito profundo no cérebro e melhorar habilidades cognitivas que não se relacionam diretamente com a linguagem, mas, sim, com o ambiente em que se encontram.

Os benefícios não cessam por aqui. Crescer falando dois idiomas também facilita o aprendizado de diversos outros idiomas futuramente, uma vez que seu cérebro já se habituou ao processo de aprendizado e conhece os atalhos.

Contudo, é importante notarmos que nunca, em momento algum e por motivo nenhum, deve-se forçar a criança a aprender um idioma que ela não queira. Devemos introduzir o novo idioma de forma natural, de modo que a criança consiga assimilar a comunicação intuitivamente e de maneira espontânea. Assim, ela poderá usufruir hoje e futuramente de todas as vantagens que essa nova língua naturalmente lhe trará.

 

Por: Sofhia Parente

 

Publicado em: 12/11/2016

Atualizado em: 12/11/2016

 

Artigos complementares sobre o tema:

  • GOMES, T. F. Aquisição da segunda língua na primeira infância: a língua inglesa na educação infantil,  Universidade Tecnológica Federal do Paraná, 2013.
  • SILVA, A. O. Aquisição/aprendizagem de LE na infância: a produção de enunciados em inglês por crianças de 3 a 5 anos. Universidade Estadual Paulista, Unesp, 2014.
  • ROCHA, C.H. O ensino de línguas para crianças no contexto educacional brasileiro: breves reflexões e possíveis provisões. Rev Delta, 2007.

 


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Um pensamento em “O que a criança ganha com o aprendizado de línguas?