TRAUMA DENTAL NA CRIANÇA – SAIBA O QUE FAZER

 

Crianças com até 3 anos de idade estão começando a andar, logo podem cair e seus reflexos não estão totalmente desenvolvidos. O trauma dental pode lesar os tecidos de suporte dental, mucosas e lábios resultando em importante sangramento e podem estar associados ao trauma de cabeça.

De zero a três anos as lesões que caracterizam o trauma dental estão mais relacionadas com a luxação do dente decíduo (dente temporário), isso ocorre porque o osso é mais esponjoso e maleável, o que leva a absorção do impacto.

Já em crianças maiores o osso tem maior dureza e mais resistência, neste caso é mais comum a fratura dentária e avulsão do elemento dentário.

Segundo um estudo realizo por Shaare (2005), os locais de maior ocorrência de trauma dental infantil são jardim da infância (32%) e na residência (38%), em crianças de 1 a 8 anos a maior incidência ocorre nos dentes incisivos superiores decíduos na faixa etária de três anos e meio.


Você poderá gostar da Formação a distância sobre Primeiros Socorros com Foco no Ambiente Escolar, saiba mais


 

Os tipos de lesões dentárias mais comuns em caso de trauma são:

  • Deslocamento dental: o dente poderá apresentar mobilidade e permanecer no local;
  • Fratura dental: existem diversos tipos como trinca de esmalte, fratura do esmalte e dentina, entre outras, podendo inclusive expor a polpa ao meio oral;
  • Intrusão dental: chamada de luxação intrusiva, quando o dente é deslocado para o interior do alvéolo dentário;
  • Avulsão dental: com o impacto o dente é expelido do alvéolo dentário.

Fratura dental – Fonte: Salutare

Fratura da raiz do osso: ocasionando sangramento e mobilidade do dente – Fonte: Roteiro Baby

Os traumatismos dentários podem levar a perda dos decíduos. Grande parte da população não tem consciência da importância da dentição decídua para o desenvolvimento da criança, que pode ser afetado por sua perda precoce.


Receba nossas publicações e mantenha-se atualizado sobre saúde e segurança na escola  quero me atualizar


 

  • A prioridade é avaliar se houve um traumatismo na cabeça associado ao trauma dental; se ocorreu o traumatismo, avaliar se a criança está consciente, tem tontura ou vômito;
  • Se ocorreu o trauma na cabeça e a criança estiver consciente, mante-la em repouso e aplicar compressa fria no local do trauma, observar se há sinais de alterações neurológicas como vômitos, tonturas, dificuldade para falar e sonolência importante (neste caso acionar o serviço de emergência SAMU 192);
  • Lembre-se: a prioridade é o trauma de cabeça, depois o trauma dental;

 

Se não ocorreu o trauma na cabeça você poderá seguir os passos abaixo:

  • Observar se ocorreu fratura do dente ou se ocorreu a intrusão deste (quando o dente traumatizado permanece na gengiva);
  • Orientar a criança a morder um rolete de gaze (se estiver com sangramento ativo);
  • Aplicar gelo (com ajuda de um pano) no local se apresentar inchaço e/ou sangramento;
  • Tentar localizar o dente (principalmente se for permanente);
  • Se o dente for encontrado, segure-o pela coroa, nunca pela raiz;
  • Colocar e manter o dente em frasco com leite (preferencialmente);
  • Quanto mais rápido ocorrer o atendimento pelo dentista, maior a possibilidade de êxito;
  • Verificar a vacinação contra o tétano (orientar os pais);
  • Encaminhar imediatamente ao cirurgião dentista da UBS ou conveniado com a Escola.

ATENÇÃO: todo trauma dental deve ser avaliado pelo dentista, a lesão pode não parecer importante quando observada a boca da criança, mas uma avaliação pelo profissional e até a realização de um RX poderão indicar a gravidade do problema.

 


Receba nossas publicações e mantenha-se atualizado sobre saúde e segurança na escola  quero me atualizar


POR QUE COLOCAR O DENTE NO COPO COM LEITE?

Muitas pessoas acreditam que essa prática é uma crença popular, mas não é.

Um estudo realizado pela Profa. Juliana Vilela Bastos, da Universidade Federal de Minas Gerais, avaliou os fatores genéticos e clínicos associados a cicatrização de dentes implantados.

Ela explica que para ter sucesso de 100% no reimplante, ele precisará ocorrer em até 10 minutos, depois do dente ter saído completamente da boca.

Mas se este dente for colocado em um recipiente com leite, esse tempo aumenta para até 6 horas, o que favorece procurar um dentista para o atendimento.

 

Conheça a matéria publicada pela UFMG sobre este trabalho aqui.

 

Confira alguns cartazes informativos (disponíveis na internet) com linguagem acessível, sobre trauma dental para utilizar nas Escolas e Creches:

Trauma dental na criança – saiba o que fazer

 

SOBRE AS AUTORAS:

Publicado em: 03/05/2017

Revisado em: 15/04/2017

 


Receba nossas publicações e mantenha-se atualizado sobre saúde e segurança na escola  quero me atualizar


 

REFERÊNCIAS: