Neste post, você verá: 

 

  • Outras medidas para umidificação do ar sem o uso de umidificadores.
  • Cuidados ao utilizar umidificador de ar na escola
  • Vantagens de utilizar umidificador de ar na escola
  • Desvantagens de utilizar umidificador de ar na escola
  • Outras considerações sobre umidificador de ar na escola
  • Tipos de umidificador de ar
  • Como escolher um umidificador de ar?
  • Cuidados com o umidificador de ar
  • Conclusão sobre o uso do umidificador de ar na escola

 

A pergunta é: devemos utilizar umidificador de ar na escola?

A resposta: Depende! Há benefícios, mas há também contraindicações, para o uso de umidificador de ar na escola.

Para crianças, o aparelho pode ser tanto o herói quanto o vilão, principalmente quando falamos em doenças respiratórias.

Atualmente conseguimos sentir as quatro estações em um dia só, além de períodos com menos chuva como a primavera, outono e inverno, favorecendo um ar mais seco que entope as pequenas narinas das crianças, causando uma sensação desconfortável e até dificuldade para respirar.

As narinas pequenas são suscetíveis a obstrução nasal e com o ar seco elas se enchem (inflamam) rapidamente, tornando difícil de respirar confortavelmente. Além disso, sem um nível adequado de umidade, o interior do nariz da criança pode ficar dolorido, fazendo com que a pele crie fissuras e até provoque um sangramento nasal.

Com relação aos bebês, estes respiram somente pelo nariz até os 4-6 meses de idade, então o nariz precisa permanecer “aberto” (sem congestão nasal).

Bebês são bem sensíveis ao ar seco e aos problemas respiratórios, e podem sofrer com a pele ressecada, as irritações, os vermelhões e até mesmo as doenças de pele mais graves.

A adição de umidade ao ar gerada pelo umidificador ou bacia d’água, ou ainda uma toalha molhada promoverá condições ótimas de respiração, garantindo o conforto da criança e garantindo que ela respire melhor.

Um cuidado a ser tomado diz respeito à temperatura, e a recomendação é ajustá-la entre os 23°C e 27°C, no máximo. É bom lembrar que, para crianças alérgicas, inalar o ar frio é tão prejudicial quanto à falta de umidade e pode desencadear crises respiratórias, sendo assim, cuidar da temperatura no ambiente também evita o choque térmico.

De acordo com alguns especialistas, uma boa alternativa para umidificar o ar são os aparelhos umidificadores que, desde os modelos mais simples, podem trazer benefícios à saúde, mas é muito importante saber usá-los corretamente.

 

Você poderá gostar:

Rinite e sangramento nasal, o que é importante saber

O aluno com asma e o uso de bombinhas: o que o professor precisa saber?

 

De acordo com alguns especialistas, uma boa alternativa para umidificar o ar são os aparelhos umidificadores que, desde os modelos mais simples, podem trazer benefícios à saúde, mas é muito importante saber usá-los corretamente.

 

Outras medidas para umidificação do ar sem o uso de umidificadores:

 

Outras medidas para umidificação do ar podem ser tomadas, para quem não quer adquirir um aparelho de umidificação. A mais recomendada pelos pediatras é a toalha úmida perto da cama, na cabeceira onde a criança estiver dormindo. Já as bacias não são efetivas porque a superfície de evaporação é menor, o que umidifica menos o ar.

No caso da bacia com água, por questão de segurança, é preciso ficar atento ao local onde a bacia será colocada: sempre longe do alcance das crianças.

Além destas medidas também é importante estimular a hidratação das crianças por via oral e umidificar as narinas com soro fisiológico algumas vezes ao dia, conforme orientação do pediatra.

 

Cuidados ao utilizar umidificador de ar na escola:

 

O umidificador de ar na escola, se utilizado terá um manuseio relativamente simples. Ele contém um tanque de água que, através do processo de evaporação, aumenta a umidade do ar com o vapor liberado.

A questão é, qual deve ser o nível de umidade ideal e como alcançá-lo?

Do ponto de vista médico, recomenda-se que a umidade do ambiente onde a criança se encontra, seja mantida entre 30% e 40%. Lembrando que tanto o excesso de umidade quanto a falta dela é prejudicial à respiração normal da criança.

A melhor maneira de fazer isso é por meio de um higrômetro. Há no mercado alguns modelos de umidificadores de ar que já vem com um higrômetro integrado, o que torna possível analisar o nível de umidade. Esse é um diferencial importante para selecionar o modelo de aparelho para compra.

Na escola o umidificador pode ser um grande aliado para aliviar a secura do ar durante o dia, mas também pode ser perigoso se estiver sujo. Pneumologistas explicam que, se deixar a água acumulada durante vários dias e não realizar a limpeza adequada, haverá uma piora na qualidade deste ar com o umidificador.

A orientação é: substituir a água do reservatório do umidificador diariamente, além de abrir e limpar o tanque e o filtro do aparelho semanalmente para evitar a contaminação do ar.

Atenção especial para a higienização adequada das mãos antes de realizar a limpeza do aparelho!

Caso opte por permanecer com o equipamento ligado, a orientação é mantê-lo na intensidade mínima durante todo o período e deixar uma porta aberta do ambiente para o escape do excesso de umidade, que é fundamental para obter os benefícios do umidificador e evitar que o ambiente fique úmido além do necessário.

 

Vantagens de utilizar umidificador de ar na escola:

 

  • Limpa e renova o ar dos ambientes.
  • Favorece que o equilíbrio da umidade do ar seja mantido, evitando que o ambiente fique seco ou úmido demais.

 

Desvantagens de utilizar umidificador de ar na escola:

 

  • Deixar o ar úmido demais, se não for utilizado corretamente. Um cenário ideal para a proliferação de fungos e bactérias geralmente quando o aparelho fica ligado durante muito tempo e sem a higienização adequada do ambiente.
  • Se a umidade do ar está extremamente baixa, não há problema em deixar o dia todo o umidificador ligado, desde que o ambiente seja bem higienizado e haja circulação de ar.
  • Aumento do risco de contaminação se a higienização diária e semanal não for realizada adequadamente.

 

Outras considerações sobre umidificador de ar na escola:

 

De acordo com a Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP), a utilização do umidificador nem sempre convém. Por exemplo, o umidificador leva, obviamente, a um aumento de umidade dentro do ambiente que propicia o crescimento de fungos (mofo) e aumento da proliferação de ácaros, os principais responsáveis pela ocorrência de alergias.

Um exemplo de situação em que o umidificador não é benéfico: a mãe mantém o umidificador ligado durante toda a noite porque o filho está tossindo, isso promoverá um aumento ou manutenção dessa tosse, principalmente se o filho for alérgico, pois o quarto possuí móveis de madeira, bichos de pelúcia, estofados, brinquedos e muitas vezes papel de parede. Todos estes objetos poderão apresentar mofo não visível.

Conclusão: se desejar utilizar o umidificador de ar, é recomendado o uso por períodos curtos (1 ou 2 horas) e no dia seguinte, o local todo deverá ser todo arejado.

 

Nos períodos de seca é muito mais efetivo o uso de soro fisiológico nas narinas, várias vezes durante o dia e tomar muita água, mesmo durante a noite. É muito mais seguro e eficiente do que o umidificador, explica a SPSP

 

Somente as chuvas com a limpeza do ar e a deposição das partículas no solo podem melhorar a qualidade do ar.

O uso de umidificadores domésticos não minimiza os efeitos do ar seco, já que isso está presente no ar em suspensão em partículas muito pequenas, somente as chuvas com limpeza do ar e a deposição das partículas no solo podem melhorar a qualidade do ar.

A melhor forma de aumentar a umidade e qualidade do ar é plantar árvores, controlar a poluição, reciclar o lixo, utilizar menos veículos automotores e outras medidas que os ambientalistas tanto recomendam.

O plantio de árvores é a medida mais importante, por isso é tão incentivada e merece ser debatida no ambiente escolar para promover uma educação para cidadania.

Segundo a pneumologista Beatriz Barbisan, da Escola Paulista de Medicina (Unifesp):

 

“Normalmente, a única contraindicação aos umidificadores é a possibilidade de deixar o ar úmido demais, cenário ideal para a proliferação de fungos e bactérias – em geral, quando o aparelho fica ligado durante muito tempo”. 

 

Conheça nossas formações e assessoria sobre saúde e segurança escolar, acesse o portfólio aqui. 

 

Tipos de umidificador de ar:

 

Uma questão importante é que o umidificador do tipo ultrassônico transforma os minerais e bactérias contidas na água em partículas microscópicas, que além de serem espalhadas no ar, passam mais facilmente pelos nossos filtros naturais (narinas), devido ao tamanho, e vão direto para o nosso organismo. Embora essa quantidade de minerais e bactérias não afetem a saúde dos adultos, poderá se tornar um problema para bebês e crianças pequenas.

 

Umidificador de ar na escola, benéfico ou não?
Modelo de umidificador tipo ultrassônico
Fonte: imagens google


Umidificador de ar na escola, benéfico ou não?
Modelo de umidificador tipo vaporizador
Fonte: imagens google

 

Já o umidificador de ar do tipo vaporizador resolve o problema das bactérias e minerais, já que o processo de aquecer a água faz com que o vapor seja disperso sem as partículas.

Sua desvantagem para crianças pequenas: se utilizado de forma inadequada, o vapor criado por este modelo aquece o ambiente e cria um clima quente e úmido propício à proliferação de fungos e bactérias.

 

Como escolher um umidificador de ar?

 

  • Dê preferência para modelos do tipo vaporizador, que apesar de ser mais barulhento e exigir cuidado com queimaduras ao encostar, ele permite a eliminação dos minerais e bactérias antes de enviar o vapor para o ambiente.
  • Alguns modelos que não não permitem retirar o reservatório de água para limpeza, o que é um grande problema, pois aumenta a possibilidade de surgimento de fungos e bactérias.
  •  Prefira selecionar um modelo, ou se utilizará o aparelho, baseado na indicação de um profissional de saúde, como o pediatra, e não apenas a consulta a sites dos fabricantes.

 

Cuidados com o umidificador de ar:

 

Nunca deixe o aparelho ligado por mais tempo do que o necessário. Normalmente esse tempo é entre 3 e 4 horas, mas geralmente há uma indicação no manual do aparelho. Alguns equipamentos disponíveis no mercado possuem funções como higrômetro e temporizador, que os desligam automaticamente quando chega ao nível esperado.

  • Sempre deixar a porta ou janela abertas quando utilizar o aparelho, isso ajuda a melhorar a circulação do ar e reduzir o excesso de umidade.
  • Os umidificadores devem ser higienizados regularmente (semanalmente) para evitar que fungos, bactérias e bolor se acumulem no interior. Dentro de 48 horas as superfícies úmidas são cobertas de mofo, portanto, é altamente recomendável seguir cuidadosamente as instruções de limpeza e as diretrizes do umidificador adquirido.
  • Como a água da torneira pode conter fragmentos minerais, a sugestão é utilizar água filtrada e fervida no aparelho, e sua troca deverá ocorrer diariamente.  
  • Recomenda-se deixar secar completamente o umidificador após o uso. Isso ajudará a eliminar a possibilidade de mofo e germes, além de evitar possíveis danos ao aparelho.

 

Conclusão sobre o uso do umidificador de ar na escola:

 

Diante do exposto nesta matéria, caberá ao gestor escolar a decisão de utilizar ou não o umidificador de ar na escola.

Caso a opção seja pela utilização, atentar-se para que todos os cuidados e medidas preventivas para a transmissão de doenças, o que poderá ser descrito em um protocolo para formalizar com toda a equipe escolar os procedimentos de uso e manutenção do aparelho.

 

Receba nossas publicações e mantenha-se atualizado sobre saúde e segurança na escola. Cadastre-se aqui. 

 

 

Maira BassiMaíra Bassi Strufaldi

Enfermeira e Fisioterapeuta, Pós-graduada em ortopedia e traumatologia, educadora em diabetes, residente do HC-USP

 

 

 

 

Matéria publicada em: 12/02/2020

Matéria revisa em: 14/12/2021

 

Referências: